Publicado em 05 de novembro de 2018

EMPRESARIAL - Quatro passos para sair do vermelho

Hoje vamos falar sobre como sair do vermelho.

É possível dar a volta por cima de maneira rápida? Sim com certeza, mas será necessário muito sacrifício e uma administração impecável.

Caso você tenha acumulado ao longo do ano dívidas e está com dificuldades em quitá-las, existe sim luz no final do túnel não se desespere vamos oferecer nesse artigo formas para você sair dessa situação.

Então bora virar esse jogo.

Em primeiro lugar é extremamente importante colocar todas as contas no papel, isso é, relacionar cada dívida existente, você pode utilizar um caderno ou até mesmo criar uma planilha no computador, depois avalie cada despesa em grau de relevância, como por exemplo o juros do cartão é mais caro ou o financiamento do carro é mais urgente, após feito essa ordenação vamos ao próximo tópico.

Segundo lugar você precisa ter total domínio do seu orçamento financeiro pessoal e quanto deste valor será destinado para quitar as suas dívidas.

Com estes dados em mãos será possível avaliar o tempo que levará para liquidar e zerar todas as suas pendências.

Terceiro lugar a negociação como arte para um melhor acordo, nesta etapa o ideal é começar pelos valores maiores mas sempre levando em conta a sua capacidade de geração de receita mês ou dindin disponível em caixa.

Caso não tenha dinheiro para pagamento à vista a melhor opção é não comprometer mais que 30 por cento da sua renda.

A grande maioria das empresas retiram o nome dos órgãos de restrição ao crédito após o pagamento da primeira parcela e aceite do acordo.

Em quarto lugar você neste período não poderá contrair mais nenhuma dívida, deverá guardar o máximo de dinheiro possível para fazer uma reserva para eventuais gastos que possam surgir e fique alerta para não deixar de honrar os seus acordos.

Lembre-se para ter uma vida financeira saudável o planejamento e organização são fundamentais.

Investir no aprendizado e controle financeiro é de suma importância para não passar por essa situação novamente.

Fonte: Contábeis


Receba nossa newsletter Fique sempre bem informado com a nossa newsletter!

Cadastre-se