Publicado em 27 de dezembro de 2019

ECONOMIA - Vendas em shoppings no Natal têm maior alta desde 2014, diz associação

27/12/2019
Brasil
Exame

São Paulo – As vendas nos shopping centers brasileiros no Natal de 2019 foram 9,5% maiores do que no ano passado, segundo dados da Alshop, associação dos lojistas desses centros comerciais, compilados junto com o instituto de pesquisas Ibope. Os dados não consideram a inflação no período.

“Temos que festejar o Natal de 2019. O resultado foi muito positivo” disse Nabil Sahyoun, presidente da Alshop, para quem a temporada de vendas natalinas deste ano foi a melhor desde 2014.

O bom resultado das vendas natalinas ajudou a elevar a projeção de vendas para o ano inteiro. A projeção inicial era de uma alta de 5,5% nas receitas do setor em 2019. Com o resultado do Natal, o ano deve fechar com uma alta de 7,5%. Foi o suficiente para um faturamento de R$ 168 bilhões.

Os dados da Alshop foram compilados numa base de 30 mil lojistas sediados em 762 shopping centers Brasil afora entre os dias 1 e 20 de dezembro.

No comércio como um todo, a expectativa é que as vendas neste fim de ano tenham a maior alta em sete anos, segundo estimativa da Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Para Sahyoun, por trás do bom resultado está a melhoria na confiança dos consumidores com os rumos da economia explicada em indicadores como a queda na taxa de desemprego e da taxa básica de juros, a Selic, que está na mínima histórica — 4,5% ao ano.

O movimento deve continuar nos próximos dias com a temporada de liquidações.

“Deveremos ter do dia 26 até o dia 31 um movimento bom pós-Natal. Muitas pessoas que receberam presentes vão trocar. Além disso, muitas famílias deixam para comprar presentes agora nas liquidações feitas pelos grandes magazines. Os shoppings vão continuar cheios”, diz.

Para o Natal deste ano, o setor criou 103 mil empregos temporários — 40% de aumento em relação a ano passado. Neste ano, 12 shopping centers foram inaugurados no Brasil.

A projeção para as vendas no varejo em 2020 também é positiva por causa da continuidade da agenda de reformas econômicas para simplificar o dia a dia das empresas brasileiras, como a administrativa e a tributária. Os números para o setor devem ser divulgados em abril do ano que vem.

O faturamento do comércio eletrônico no período teve um crescimento de 15%, sem considerar a inflação, segundo a mesma pesquisa da Alshop. As receitas somaram R$ 61,2 bilhões, num total de 137 milhões de pedidos.


Receba nossa newsletter Fique sempre bem informado com a nossa newsletter!

Cadastre-se