Publicado em 22 de outubro de 2018

ECONOMIA - Monitor do PIB: economia brasileira cresce 0,2% em agosto

O Monitor do PIB-FGV aponta, na série com ajuste sazonal, crescimento de 0,2% da atividade econômica em agosto, em comparação ao mês de julho. Na variação trimestral móvel (jun-jul-ago quando comparado ao trimestre mar-abr-mai), entretanto, a economia apresentou crescimento de 1,6%. Na comparação interanual, a atividade econômica apresentou resultados positivos com crescimento de 1,9% no mês e 1,9% no trimestre.

Nesta divulgação do Monitor do PIB – FGV foram realizadas parte das alterações metodológicas do indicador que modificaram suas séries históricas, de forma a aperfeiçoá-las

“Os resultados de agosto apontam, no geral, para a estabilidade do crescimento da atividade econômica. Todas as doze atividades apresentam taxas positivas, na comparação trimestral móvel com ajuste sazonal, à exceção da extrativa mineral (-1,2%). Não pode ser esquecido que os resultados positivos das informações trimestrais móveis dessazonalizados derivam da saída do atípico mês de maio dessas comparações. Na comparação das taxas trimestrais móveis sem ajuste sazonal também houve crescimento generalizado das atividades, à exceção da extrativa mineral (-1,0%) e da construção civil (-0,1%). Chama atenção na decomposição da FBCF, a retomada do crescimento da construção civil após cinquenta trimestres móveis com taxas negativas. Nota-se, também, o componente de máquinas e equipamentos importados que apresenta, desde setembro de 2017, crescimento médio superior a 13%,” afirma Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV.

1) Na comparação interanual, pela ótica da oferta, o trimestre móvel findo em agosto apresentou taxas maiores do que as divulgadas para o segundo trimestre. Todas as atividades apresentaram taxas positivas. Entretanto, na indústria, os setores de extrativa mineral (-1,0%) e construção (-0,1%), apresentaram taxas negativas, embora melhores do que as do trimestre anterior.

2) O consumo das famílias apresentou crescimento de 2,0% no trimestre móvel findo em agosto, na comparação interanual. Essa taxa representa uma retomada do crescimento. Todas as categorias de produtos contribuíram positivamente, com exceção dos semiduráveis (-0,1%).

3) A FBCF cresceu 3,7% no trimestre móvel findo em agosto, na comparação interanual, com crescimento de 3,3% de máquinas e equipamentos e 0,3% e 0,1% de construção e outros componentes da FBCF, respectivamente. Depois de cinquenta trimestres móveis com taxas negativas, a construção apresentou resultado positivo.

4) A taxa de investimento (FBCF/PIB), a preços constantes, foi de 18,1% em agosto julho.

5) A exportação cresceu 0,6% no trimestre móvel findo em agosto, na comparação interanual. As contribuições positivas vieram das exportações de produtos agropecuários (2,0 p.p.), bens intermediários (0,7 p.p.) e bens de capital (0,6 p.p.). Os demais grupos de produtos apresentaram contribuições negativas.

6) A importação cresceu 10,0% no trimestre móvel findo em agosto, na comparação interanual. As maiores contribuições para este resultado foram da importação dos bens intermediários (4,3 p.p.) e dos bens de capital (2,7 p.p.).

7) Em termos monetários, o PIB em valores correntes alcançou a cifra de aproximadamente 4 trilhões, 598 bilhões, 043 milhões de Reais no acumulado do ano até agosto.

APÊNDICE – NOTA EXPLICATIVA

O Monitor do PIB-FGV estima mensalmente o PIB brasileiro em volume e em valor. O objetivo de sua criação foi prover a sociedade de um indicador mensal do PIB, tendo como base a mesma metodologia das Contas Nacionais do IBGE. Sua série inicia-se em 2000 e incorpora todas as informações disponíveis das Contas Nacionais do IBGE (Tabelas de Recursos e Usos, até 2015, último ano de divulgação) bem como as informações do PIB-Tri do IBGE, até o último trimestre divulgado (segundo trimestre de 2018).

O indicador é ajustado ao PIB-Tri do IBGE sempre que há mudanças metodológicas e a cada trimestre divulgado. Ou seja, nos trimestres calendários, as médias trimestrais dos índices de volume do Monitor do PIB-FGV serão iguais aos indicadores trimestrais, sem ajuste sazonal, do PIB-Tri do IBGE. Nos trimestres calendário, são utilizados os mesmos modelos do IBGE para calcular todas as séries desagregadas com ajuste sazonal, tanto pela ótica da oferta, como da demanda. Para o ajuste sazonal mensal é utilizado o modelo mensal do IBC-Br; para os trimestres móveis utiliza-se uma média desses ajustes mensais.

Assim, as estimativas do Monitor do PIB-FGV antecedem o PIB-Tri do IBGE nos meses em que este é divulgado. E, nos meses em que não há divulgação, o Monitor representa uma excelente antecipação para as tendências do PIB e seus componentes.

O Monitor do PIB-FGV compõe-se de um relatório descrevendo os principais resultados com ilustrações gráficas e de uma tabela Excel com informações de volume, em valores correntes, e a preços de 1995 das 12 atividades econômicas que agrupadas formam os 3 setores de atividade (agropecuária, indústria e serviços). Apresenta, ainda, o Valor Adicionado a preços básicos, os impostos sobre os produtos e o PIB e também os componentes do PIB pela ótica da demanda. Outro ponto a ser destacado é que o Monitor torna disponíveis desagregações que não são divulgadas pelo IBGE, mas que são relevantes para um melhor entendimento da absorção doméstica e da demanda externa. As desagregações disponibilizadas pelo Monitor são:

Consumo das Famílias: bens de consumo duráveis, semiduráveis, não duráveis e serviços. Adicionalmente eles são classificados em nacionais e importados;

Formação Bruta de Capital Fixo: em máquinas e equipamentos, construção e outros. Para máquinas e equipamentos e outros, há a desagregação entre nacionais e importados;

Exportações e Importações: em produtos agropecuários, produtos da extrativa mineral, produtos industrializados de consumo (duráveis, semiduráveis e não duráveis), produtos industrializados de uso intermediário, bens de capitais e serviços.

São divulgadas as séries de base móvel, séries encadeadas, séries encadeadas dessazonalizadas, as taxas mensais, trimestrais e anuais comparadas a igual período do ano anterior e as taxas mensais e trimestrais comparadas a período imediatamente anterior, e os valores nominais correntes e a preços de 1995. Uma metodologia detalhada está disponível clicando aqui.

Fonte: Contabilidade na tv


Receba nossa newsletter Fique sempre bem informado com a nossa newsletter!

Cadastre-se