Notícias Empresariais

Tweet

As cidades brasileiras onde a crise não existe

O assunto “crise” está na boca e na cabeça dos brasileiros, e não é difícil encontrar alguém que tema perder seu emprego durante um período de instabilidades financeiras. Ao realizar um levantamento do número de empregos gerados e cortados em cada município brasileiro no último semestre, o CAGED revelou que cerca de 3 mil cidades brasileiras seguiram o fluxo oposto e mais abriram novas oportunidades de trabalho do que demitiram pessoas.



No ranking, as regiões Centro-Oeste e Sul aparecem como as primeiras colocadas, tendo um saldo positivo, no equivalente ao número de admissões e de desligamentos, de 33.178 e 15.044, respectivamente. Abaixo, confira quais são as 11 cidades brasileiras que mais geraram empregos nos seis primeiros meses do ano:



1. Franca (SP)



Com aproximadamente 340 mil habitantes, a cidade de Franca foi a cidade brasileira que mais gerou empregos no primeiro semestre do ano. O saldo de empregos em 2014 foi negativo, em -1,5 mil; contra os 6,0 mil gerados entre janeiro e junho de 2015. O setor que mais ofereceu oportunidades de trabalho foi o de Indústria da Transformação, com 4,8 mil vagas ofertadas. 



2. Santa Cruz do Sul (RS)



A cidade com pouco mais de 125 mil habitantes gerou novos 5,3 mil empregos no primeiro semestre, sendo o setor de Indústria da Transformação o que mais ofertou novas vagas. No ano passado, o saldo de empregos criados em Santa Cruz do Sul ficou em 1,2 mil.





3. Pontal (SP)



Dos 4,7 mil vagas de emprego abertas na cidade de Pontal, 3,2 mil foram destinadas ao setor de Indústria da Transformação. Com uma população estimada em 45,1 mil habitantes, o primeiro semestre de 2015 foi promissor, principalmente quando comparado ao saldo de empregos criados em 2014: -1,7 mil.



4. Juazeiro (BA)



Na cidade de Juazeiro, onde habitam aproximadamente 216,5 mil pessoas, mais de 3,7 mil empregos foram criados no primeiro semestre de 2015. Diferentemente dos três primeiros colocados, o setor que mais teve demanda no município foi o da Adminsitração Pública, abrindo 2 mil novas vagas. O saldo de empregos criados em 2014 foi de 592.



5. Venâncio Aires (RS)



De um total de 3,5 mil vagas geradas no primeiro semestre do ano, 3,4 mil foi destinada ao setor da Indústria da Transformação. O município de Venâncio Aires possui pouco mais de 69,5 mil habitantes e em 2014 teve um saldo de empregos criados de apenas 152. 



6. Arapiraca (AL)



Com uma população estimada de 229 mil, Arapiraca gerou aproximadamente 2,8 mil novas vagas de emprego, sendo a demanda principal o setor de serviços. Em 2014, a cidade obteve um saldo pouco superior a 1 mil empregos criados.  



7. Blumenau (SC)



No ano passado, Blumenau obteve um saldo de 222 empregos criados. No primeiro semestre de 2015, a cidade atinge um saldo de 2,7 mil vagas no mercado. O setor que mais gerou empregos até o momento foi o da Administração Pública, com 1,2 mil novas vagas. Vivem aproximadamente 334 mil pessoas na região. 



8. Nova Serrana (MG)



Com uma população estimada em 87,2 mil habitantes, entre janeiro e junho a cidade de Nova Serrana teve um saldo de 2,3 novas vagas de trabalho. O setor que oferece maiores oportunidades na região é o da Indústria da Transformação, tendo gerado 2,1 mil vagas. Em 2014, seu saldo de empregos ficou negativo em -151.



9. Canaã dos Carajás (PA)



O saldo de empregos gerados em 2014 na cidade de Canaã dos Carajás foi elevado: 2,5 mil. No entanto, a tendência pareceu continuar no primeiro semestre de 2015, com 2,2 mil novas vagas de emprego geradas. O setor de maior demanda é o da Construção Civil, com 1,9 mil vagas. A população da cidade é de aproximadamente 32,3 mil.



10. Goianésia (GO)



O décimo lugar fica com a cidade de Goianésia, com 2,1 mil novas vagas de trabalho. O setor que mais gerou empregos no primeiro semestre do ano foi o da Indústria da Transformação. A população aproximada é de 64,8 mil habitantes. Em 2014, o saldo de empregos criados ficou em 828.



11. Londrina (PR)



Com uma população de 543 mil, Londrina gerou 2 mil novas vagas de emprego entre janeiro e junho de 2015, sendo o setor de maior demanda o de Serviços. Em 2014, o saldo de empregos criados ficou em 942. 


[ voltar a listagem de notícias ]