Notícias Empresariais

Tweet

Serviços são determinantes para economia local

O setor de serviços impulsiona a economia de Londrina e região. De acordo com pesquisas realizadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Produto Interno Bruto (PIB) do segmento aumenta a cada ano de forma considerável.





Segundo a última pesquisa divulgada pelo IBGE, o PIB do setor de serviços em Londrina, que inclui também o comércio, equivale a R$ 8.478.797 e corresponde a 81,10% do total de todos os setores. Enquanto a agropecuária local é responsável por 1,85% e a indústria por 17,05%.





"A localização geográfica importante e os investimento em universidades são alguns dos fatores que contribuem para que a cidade tenha uma matriz econômica com características predominantes do setor de serviços", destaca o secretário do Trabalho, Emprego e Renda Municipal, Márcio Corrêa.





O gerente do Sine, Milton Velei, ressalta que, considerando os cinco primeiros meses do ano, Londrina é o município paranaense com os melhores índices de empregabilidade e grande parte disso se deve aos bons resultados que o município apresentou no setor de serviços. Conforme os dados do Caged, em janeiro e fevereiro de 2015, o setor de serviços apresentou saldo positivo de 1.335 e 1.474 vagas, respectivamente.





Para o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Bruno Veronesi, "é importante a cidade manter essa característica forte da prestação de serviços, mas, paralelo a isso, é necessário incrementar a industrialização de forma que possa usufruir dos serviços que a cidade oferece". Ele acrescenta ainda que a atual gestão municipal está focada em trazer mais indústrias para Londrina e também fomentar o turismo de eventos.





A prestação de serviços na área médica é outro setor que indica crescimento nos próximos anos. Veronesi salienta que "investidores do setor escolheram a cidade para se instalarem, como é o caso do grupo responsável pelo Palhano Medical Center".





O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) destaca que, com base nos dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), 43% das Micro e Pequenas Empresas (MPEs) da cidade estão ligadas ao setor de serviços. Além disso, "existem 5.172 Microempreendedores Individuais (MEIs) prestadores de serviços, 45% do total de MEIs constituídos em Londrina. Neste contexto, a cidade se consolida como polo no setor de serviços, gerando e empregando grande parte da mão de obra deste setor", afirma o consultor do Sebrae, Rubens Negrão.





Em 2013, a secretaria municipal de Fazenda contabilizou 16.460 estabelecimentos de serviços, número este que saltou para 18.734 em 2014. Para o presidente do Sindicato das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações, Pesquisas e de Serviços Contábeis de Londrina e Região (Sescap-Ldr), Jaime Cardozo, "apesar do setor de serviços ser uma das válvulas de escape para todas as esferas governamentais, principalmente na melhoria de índices como de empregabilidade e PIB, não tem a merecida atenção do governo federal. Quando assunto é capital de giro e tributação dos prestadores de serviços, somente se pensa em aumento de tributos aos prestadores de serviços. Por este motivo, o principal trabalho de nossa entidade é lutar pela redução da carga tributária das empresas prestadoras de serviços, que acabará diretamente beneficiando também a indústria e o comércio".





O saldo positivo do setor confirma a importância do setor de serviços. O consultor do Sebrae explica que o segmento pode ser enquadrado como um gerador de divisas para a economia local, pois alguns ramos como Tecnologia da Informação (TI), saúde, turismo, entre outros, conseguem atrair consumidores e investimentos de outras cidades, estados e até mesmo de outros países para a cidade, como é o caso do setor de Tecnologia da Informação".


[ voltar a listagem de notícias ]