Notícias Empresariais

Tweet

Capacidade de adaptação é questão de sobrevivência para pequenas empresas

Instabilidade na economia trouxe com ela índices desanimadores de crescimento do País, desemprego e endividamento. Há, porém, uma perspectiva diferente para se enxergar a crise. A dificuldade traz consigo a necessidade de adaptação e renovação, essenciais para o sucesso de um negócio. Menores e com maior proximidade dos seus consumidores, as micro e pequenas empresas levam vantagem nesse aspecto, mesmo em tempos de crise.





“A relação com os clientes de uma empresa pequena é totalmente diferente. Há uma resposta mais direta do gestor quando ocorre uma mudança das necessidades do cliente. Isso possibilita novos arranjos de forma muito mais ágil que em uma grande empresa”, avalia o superintendente do Sebrae em Pernambuco, Oswaldo Ramos.





Mas como exatamente o empreendedor pode enfrentar a crise? Para Oswaldo Ramos, o essencial é ficar ainda mais atento às contas da empresa e investir na qualidade no diferencial do produto.





As saídas para a crise – numa perspectiva mais ampla – são o tema do programa Cidade Viva de hoje, transmitido ao vivo das 15h30 às 16h30 pelo Portal NE10 e todos os sites dos veículos do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação. Participam do debate o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Thiago Norões; o consultor Francisco Cunha e o gerente do Sebrae Alexandre Alves, além do colunista do JC, Giovani Sandes.





O superintendente do Sebrae ainda destaca que, por ter um alcance mais restrito que grandes empresas, os pequenos empreendedores acabam tendo um papel fundamental no desenvolvimento da comunidade, com geração de emprego e renda. Pensando nisso, o Sebrae vai lançar no Estado no próximo mês a campanha Compre da pequena empresa, com o intuito de mostrar ao público as vantagens de se manter esse nicho aquecido.





DESEMPREGO





O secretário executivo de Micro e Pequena Empresa e Fomento ao Empreendedorismo de Pernambuco, João Freire, no momento que perdem o emprego, muitas pessoas recorrem a um negócio próprio. “Muita gente se volta para o negócio da família ou decide investir em alguma atividade que não era tratada até então como uma oportunidade. Para todas as micro e pequenas empresas, o desafio é dar mais qualidade ao produto, inovar e ter qualidade em gestão”, defende.





Para conseguir fortalecer o produto e se destacar depois que a crise passar, o empreendedor precisa também estar atento às oportunidades de capacitação. “A qualificação tem que ser permanente. O próprio mercado se moderniza, muda, mas é preciso acompanhar essas mudanças”, recomenda João Freire.


[ voltar a listagem de notícias ]