Notícias Empresariais

Tweet

5 gurus da contabilidade para ficar de olho

O presente texto tem uma função muito simples: inspirar. Em nenhum momento a ideia é ser igual a esses gurus, referências na área contábil, já que cada um deles surgiu em momentos diferentes da história e em circunstâncias tão distintas quanto. Além disso, o fato de tratarem a contabilidade como o que ela é realmente, ou seja, uma ciência, e não uma mera lista de “contas a pagar”, eleva o nível de discussão sobre suas participações no cenário econômico.





Confira agora 5 gurus da contabilidade para conhecer, estudar e acompanhar:





1. Gino Zappa





O italiano Gino Zappa nasceu em 1879, em Milão, sendo professor e profundo estudioso da área contábil. Como toda referência, Zappa se destacou pelo modo diferente e inteligente de pensar. Em suas obras, o estudioso deu foco econômico à contabilidade, e não somente jurídico, como antes ela era tratada. Ele sempre viu a área como uma ciência, e assim a aplicava em seus trabalhos.





Faleceu em 1960, deixando ao menos quatro obras representativas para a contabilidade e que são discutidas até hoje.





2. Giuseppe Cerboni





Outro guru interessante foi Giuseppe Cerboni, falecido há quase um século, em 1917. Precursor da contabilidade e conterrâneo de Zappa, Cerboni pensava o ramo também como um ciência, algo mais profundo e maior que a simples ação de “baixa de caixa”, como citado na introdução desse texto. O conhecimento que transferiu aos livros tinha como base a experiência adquirida junto ao governo italiano, sendo, inclusive, contador geral do Estado e conselheiro do Tribunal de Contas.





3. Adam Smith





O filósofo e economista escocês Adam Smith é considerado o pai do liberalismo econômico. Na realidade, ele poderia ser o guru de grande parte das ciências existentes: política, sociologia, econômica, entre outros, e na contabilidade não seria diferente. Smith revolucionou a forma de ver e vivenciar as relações econômicas, desprendendo-as da forma “estatal” do comércio, defendendo forte participação da iniciativa privada. Em suas obras, principalmente “A Riqueza das Nações”, ele defende que essa riqueza deve também ser do povo e não dos “príncipes”. Assim, se forma verdadeiramente um país forte e próspero, além, é claro, de um mercado consumidor e produtor de serviços e bens.





4. Domingos Poubel





Bastante relevante para o mercado de contabilidade no Brasil. Formado em Ciências Contábeis e Econômicas, foi auditor do Banco Central brasileiro, sendo também um dos criadores do Siafi. Atualmente, Poubel é professor universitário e atua junto ao Sebrae. Suas obras são muito respeitadas quanto a auditoria e controle interno. Vale a pena ler seus textos e artigos!





5. Juarez Domingues Carneiro





Presidente da Fundação Brasileira de Contabilidade. Além desse cargo, ele foi por duas vezes presidente do Conselho Federal de Contabilidade. Nesse caso, o nome dele não está aqui por livros que escreveu ou teorias que desenvolveu, mas sim pelo trabalho exercido em órgãos que zelam pela qualidade da contabilidade nacional.





É claro que o mundo não precisa apenas de profissionais iguais aos que foram apresentados, pelo contrário, necessita de pessoas com pensamentos e ideias novas e que façam a diferença na área e no cenário global. Velhos ou novos, brasileiros ou não, não deixe de pesquisar e estudar o material e o legado deixado por esses e outros gurus da contabilidade. Quanto mais conhecimento, mais você pode se aprimorar na profissão e no entendimento do mercado.


[ voltar a listagem de notícias ]