Notícias Empresariais

Tweet

Ensino de Contabilidade deve aproximar realidade das empresas

Estudo realizado a partir de pesquisa em instituições de ensino superior da cidade de São Paulo conclui que o método tradicional de ensino de contabilidade está saturado. O trabalho, de dissertação do pesquisador Marcello Lopes dos Santos, propõe a introdução da metodologia de ensino baseado em problemas (PBL na sigla em inglês). “Como em qualquer atividade, pesquisadores em métodos de ensino têm se empenhado no desenvolvimento e estudo de técnicas de aprendizagem. Neste contexto, o método Problem Based Learning (PBL), também conhecido como Aprendizagem Baseada em Problema (ABP) inicialmente desenvolvido para a área de saúde, permite aos alunos que, por meio de docentes capacitados, treinados e com prática de mercado, se aproximem da realidade encontrada nas empresas, possibilitando prepará-los, de forma adequada, às necessidades do mercado”, argumenta o especialista.



No mundo atual, a discussão sobre o ensino está ocorrendo em todas as esferas, desde os primeiros ensinamentos aos graduados. Reportagens, estudos e pesquisas mostram que o cenário precisa mudar e já ocorrem várias iniciativas tanto do governo, como das instituições particulares, para que as mudanças sejam positivas e tragam melhorias ao ensino atual. Uma das questões que intrigam os pesquisadores é a que se refere aos métodos de ensino. Todos sabem que os métodos tradicionais estão saturados e, com o advento de novas tecnologias que integram os estudos, se faz necessária uma mudança rápida para que os profissionais acompanhem todas as ocorrências em tempo real. Uma das propostas é o ensino baseado em problemas, chamado de PBL (Problem Based Learning). Neste estudo, o foco da pesquisa é a sugestão da efetividade da implantação deste método pelos olhares da coordenação das Instituições de Ensino Superior da Cidade de São Paulo, um olhar crítico de pessoas que estão na linha de frente, argumentando para melhorias no preparo dos futuros profissionais da área contábil.



De acordo com Marcello Lopes, a complexidade do mundo atual indica, claramente, que os saberes racionais não são mais suficientes para lidar com a diversidade das situações de trabalho. “Assim, como em todas as áreas de atuação e, em especial, no ensino de Ciências Contábeis, deve-se refletir sobre formas inovadoras de ensino e aprendizagem, objetivando uma mudança necessária no papel da Educação e das Instituições de Ensino Superior (IES), aliando formação e qualificação profissional como um processo fundamental para a competitividade, que passou a fazer parte do cenário do mundo do trabalho”. Todo este movimento, no entanto, exige uma maior responsabilidade das instituições de ensino supergior que não devem restringir sua missão à formação estritamente profissional e científica dos seus alunos.



Para ele, o método Problem Based Learning (PBL) é considerado uma troca de paradigma e visto como sendo o futuro para a educação. Nesta metodologia o aluno é responsável pela sua própria aprendizagem. E o método estimula o pensamento crítico, as habilidades para solução de problemas e a aprendizagem de conceitos na área em questão. Portanto, - enfatiza o pesquisador - essa dissertação discorre acerca da teoria atualmente disponível sobre a metodologia, bem como, aplicou uma pesquisa junto a coordenadores responsáveis pelos Cursos de Ciências Contábeis das IES, fornecendo a base sobre a aplicabilidade da metodologia em sala de aula e do conhecimento sobre o tema no mundo acadêmico.



Resultados da Pesquisa



O estudo de Marcello Lopes teve como objetivo geral verificar o conhecimento da metodologia do Problem Based Learning (PBL) e sua possível implementação como método de ensino-aprendizagem no curso de Bacharelado em Ciências Contábeis. Para tanto, os avaliadores são coordenadores de cursos de Bacharelado em Ciências Contábeis das principais Instituições de Ensino Superior da Cidade de São Paulo. “Este trabalho foi elaborado com o intuito de demonstrar a efetividade da implantação da metodologia PBL – Problem Based Learning, através da vivência dos coordenadores dos Cursos de Ciências Contábeis de Instituições de Ensino Superior (IES) do Estado de São Paulo”.



A pesquisa foi encaminhada para vinte instituições e metade delas retornaram com informações detalhadas. Segundo Marcello Lopes, após os dados ´serem computados em forma de gráficos, tornou-se mais nítida a compreensão da aplicabilidade na prática, da metodologia PBL nos Cursos de Graduação em Ciências Contábeis. “Os coordenadores sentem-se parcialmente confiantes com relação à aplicação da metodologia no curso de Ciências Contábeis, porém, pode-se perceber que ainda há certa resistência em sua aplicabilidade, mas, estes concordam que o PBL possa vir a ser uma metodologia a ser implantada no curso de Ciências Contábeis.



“Alguns motivos para esta incerteza é verificada na aplicação desta metodologia, que ocorreu em apenas uma disciplina do curso e suas aplicações foram em alguns momentos da disciplina. A grande maioria ainda não utilizou a metodologia PBL. Uma das causas evidenciadas é a que diz respeito aos docentes dos cursos de Ciências Contábeis. Os coordenadores são incertos quanto à existência de maior comprometimento dos docentes na utilização da metodologia, já que apontaram que, além de conhecimento teórico, o docente deve possuir experiência prática reconhecida para poder sanar todas as dúvidas dos graduados durante o trabalho desenvolvido em sala de aula, para que a metodologia tenha sucesso.



“Outro ponto importante, é o aumento da exigência que a metodologia requer do docente, em termos de competências e dedicação, que deveria impactar numa política de remuneração mais adequada. Neste aspecto, os coordenadores concordam totalmente, contudo, esta questão foge do controle de suas competências, uma vez que, a decisão sobre a política salarial das instituições de ensino não pode ser alterada pelos mesmos. Quanto à grade curricular do curso, a grande maioria discorda da reformulação das disciplinas, estando estruturada para receber a metodologia, pois os coordenadores concordam que as atividades em sala de aula se aproximam muito mais das situações que o futuro profissional enfrentará em seu cotidiano. Porém, é apontado que o docente não possui instrumentos adequados para avaliação do discente para aplicar o PBL, sendo que o melhor instrumento de avaliação na aplicação da metodologia escolhida pelos coordenadores é a “Avaliação Contínua” e a “Avaliação Escrita e Oral”.


[ voltar a listagem de notícias ]